quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

É o Diabo um Teólogo?

Falar sobre teologia, para mim, sempre é um prazer. Aliás, assim deveria ser com todos nós, teólogos(as) “de plantão”, membros de igreja, líderes, pastores, profissionais cristãos, e assim por diante. Aprendi muito cedo com um amigo, também teólogo, que fazer teologia deve ser uma espécie de diversão, com alegria e paixão por aquilo que falamos. Afinal, estamos lidando com um suposto conhecimento sobre Deus, em sua revelação, e isso, além de maravilhoso, é um privilégio, certo? Do contrário, não valeria a pena, como nada na vida.
Nunca havia pensado no Diabo como um teólogo. A priori essa deveria ser sempre uma idéia inconcebível, pois, no final das contas, teólogos são aqueles sábios estudiosos que se esmeram em caminhar com Deus e em desvendar, por meio de linguagem humana, os mistérios revelados ou, quem sabe, ocultos da Palavra Divina. Como então poderia ser o Diabo, o Coisa-Ruim, o Cramulhão, o Chifrudo Vermelhão, o Inimigo, ou outras representações que dele se tenha, mas que nem sempre o “representam” realmente, um teólogo, na melhor acepção da palavra? Era, para mim, algo quase irrefletido, até que me deparei com as palavras de Eugene Peterson: “o Diabo pode ser definido como aquele tipo de teólogo que sabe tudo a respeito de Deus, mas que não quer nada com Ele”.
Constantemente, nós, teólogos, caímos na armadilha de almejar saber (cognitivamente) tanto sobre Deus, sem, no entanto, conhecê-lo na vida e sem nos interessarmos por aquilo que Ele É. Contudo, essa, definitivamente, não é uma prerrogativa apenas de teólogos, mas de todos aqueles que mergulham nesse mar infindo e processual de conhecer a Deus. Muitos, aliás, se perdem nesse artifício ao fazerem do próprio conhecimento um deus, supondo poder conhecer as minúcias tanto do Céu como do Inferno, devotando-se às capacidades da criatura ao invés de adorar ao Criador. Afinal, qual é a matéria-prima da teologia? Alguns diriam que é Deus, o que eu discordo. Deus não é substância nem produto da mente humana e por ela não pode ser apreendido; não é um objeto de estudos científicos, muito menos de cálculos matemáticos (essa foi e é a grande frustração da modernidade), posto que Ele não é sintético, mas é Espírito: Invisível, Indivisível, Imutável, Infinito. “Eis que Deus é Grande e não o podemos compreender; o número de seus anos não se pode calcular” (Jó 36.26).
Por isso, conforme opina Peterson, “o nome de Deus sem oração a Deus é a matéria-prima da blasfêmia. A verdade a respeito de Deus sem amor por Deus rapidamente degenera em opressão”. Oração, por outro lado, não é um mero rito ou experimento artificial, oração é vida, é o rumor do coração que se transforma em palavras, ou em simples silêncio, colocando nosso mundo limitado em vivo contato com o mundo ilimitado de Deus. Para mim, a principal matéria-prima da teologia é a vida, assim como orar é viver e como Deus é sinônimo de Vida e Liberdade plenas. Só se pode conhecer a Deus à medida que se celebra intensamente o viver, o viver junto com outros, imersos na realidade. A teologia que se vale da experiência de Jesus (O Deus Encarnado) está totalmente ancorada em, e em permanente relação com, a realidade que nos cerca, tantas vezes dura e cruel.
Dessarte, o fazer teológico (que não é aquele ao gosto do Diabo) não se reduz simplesmente a aprender de dois ou três teólogos sistemáticos, decorando algumas verborragias teológicas, participando anualmente de encontros literários para deleite intelectual, mas acontece na imersão do teólogo na realidade para enxergar as faces de Deus no cotidiano da vida comum dos “comuns”, e, por fim, produzindo palavras e ações que podem e devem ser relevantes à missão diária da igreja, não tomando, portanto, o triste destino da maioria, que é de se tornar arquivo (“morto”) dos departamentos e bibliotecas das faculdades teológicas.
Jonathan

6 comentários:

Carlos Xavier disse...

O Diabo pode não ser um teólogo e até acho irrelevante tal debate. Mas que tem muita gente tentando conhecer seu DNA, ah isso tem.
A carta que recebi hoje, pela 2ª vez, mostra a piração de alguns cristãos em combater a suposta igreja de Satanás.
PC

IGREJA DE SATANÁS INICIA DIVULGAÇÃO

Leia e REPASSE AO MAIOR NÚMERO DE CRISTÃOS QUE VOCÊ
CONHECE!!!

O Dono da Companhia Procter & Gamble apareceu no programa de
Phil Donahue, de grande tele-audiência nos Estados Unidos.
Nesse programa anunciou que, dado à abertura de hoje em nossa sociedade,havia
decidido sair do esconderijo e reconhecer publicamente a sua associação
com a igreja de satanás.
Ele admitiu que uma grande parte dos lucros da venda dos produtos de sua empresa se destina à ajuda e manutenção de sua igreja satânica.
Quando o entrevistador, Phil Donahue, lhe perguntou se não temia que ao admitir TV nacional a sua associação com satanás, poderia prejudicar os lucros da empresa, ele respondeu:'NÃO HÁ CRISTÃOS SUFICIENTES NOS ESTADOS UNIDOS OU NO MUNDO QUE POSSAM ME PREJUDICAR MUITO MENOS CAUSAR UM MÍNIMO DANO'

Demonstremos a esse altivo senhor e ao mundo, que há, sim, cristãos suficientes e que podemos colaborar para acabar com sua companhia que serve à satanás.
Não usemos nenhum produto da Procter & Gamble e avisemos a todos os cristão, eis a lista de alguns produtos:
Sabão em Pó 'Ariel
Alimentos 'Batatas Fritas Pringles
Fraldas Descartáveis 'Pampers
Produtos Para Lavagem De Roupa A Seco 'Dryel P & G
Produtos Para Cabelo 'Shampoo Pantene; Pertplus
Medicamentos 'VICK'
Se não tiver certeza de que o produto que está usando é desta companhia, procure o nome da companhia ou o símbolo que passou a identificá-los a partir de abril de1999, que é o número 666, conhecido como número da besta, antes era uma lua nova.
Demonstremos ao dono da Procter & Gamble que há cristãos mais do que presentes para causar prejuízo à sua empresa, até mais, para fechar sua empresa.
Lembre-se que cada vez que você adquirir um desses produtos, está dando contribuição à igreja de satanás.
Façam cópias deste, e distribuamos para todos, em todo mundo,para Honra e Glória daquele que está acima de todos os nomes JESUS CRISTO.

Deus o abençoe e lhe proteja

Carlos Xavier disse...

Ah Jon
Que legal essa foto ilustrada. Rapaz, não é que ele parece com alguns pastores hehehehe.
PC

Jonathan Menezes disse...

É PC, a coisa tá feia mesmo. Não penso que seja bem um debate, por isso pode não ser relevante. É apenas um título sugestivo pára pensarmos na pergunta: que "diabo" de teólogo sou eu? E, se pararmos pra pensar e considerar honestamente nossa caminhada, teremos boas e más surpresas... Quanto a ilustração, de fato, é muito boa. Até conheço alguns para quem ela serve direitinho...
Valeu!

livros disse...

Carlão, profeta das multidões.
Prá vc ver como o mundo dos crentes é louco mesmo. Recentemente fique hospedado em um complexo residencial nos Estados Unidos. Um lugar especial pois o preço é de apenas 35 dolares por mês com direito a internet e TV a cabo. Para vc ter um idéia, um simples quarto num hotel fica em torno de 80 dolares por dia.
Por que? Essa casa foi construída na década de 50 para abrigar os missionários que tinham salários baixos e não podiam ficar em hotéis.
A família que construiu a casa é a mencionada em seu post: Gamble. Essa família tinha as suas raízes na Igreja Presbiteriana.

livros disse...

Esse post da casa é meu e não sei porque diabo saiu com esse nome.
AC

Jonathan Menezes disse...

Porque é com esse nome que vc tá logado ô belezão!
Quando vc posta como "usuário" sai o nome de usuário...