quarta-feira, 16 de julho de 2008

Morte e vitória da consciência (II)

As testemunhas se foram, afugentadas pela indiferença, que por seu turno gera apatia – a incapacidade de sofrer – e está dá lugar então não só para o túmulo da consciência, como também da esperança e solidariedade. É o início da militância contra a vida; são os primeiros sinais da derrota: da consciência, do ser-em-Deus, da convivência pacífica e compassiva com os outros. Todas as vezes que matamos a nossa consciência, matamos a voz de deus em nós. E quando ela morre, outras coisas também começam a morrer.
Já a vitória e vivacidade da consciência podem ser vistas como um antídoto contra o desequilíbrio vital em todos os sentidos possíveis. É a atenção constante ao que dizem as testemunhas. É claro que essas testemunhas podem ser igualmente forjadas pelo legalismo e e moralismo que rege muitos sistemas religiosos e de pensamento. O final delas é a prisão do ser e seu martírio nas cruzes de suas falsas culpabilidades e medos, cujo fim trágico é também a morte.
A vitória da consciência, regida pelo espírito do Deus da vida, é da liberdade sobre a escravidão, da maturidade sobre a dependência doentia e infantil. Ela só pode ser mensurada pelos frutos e permanente transformação da mente pela inconformação frente aos padrões emburrecedores, assassinos de consciência. É a assunção da mente de Cristo, a qual nos permite não tomarmos a forma do vazio de consciência desse século, mas transformar-nos pela renovação de nossa própria mente e consciência, Nele.
*Imagem: "Consciência", por Maurício Z. Porto (http://novasvisoes.com.br)
Jonathan

3 comentários:

Fernando Torres disse...

Caro amigo, a imagem tem autor. Por favor, citar autor e fonte no post.

Jonathan Menezes disse...

Citado. Obrigado pela lembrança. De modo algum meu interesse foi atribuir a mim mesmo a autoria da imagem, como em todos os posts. O que é meu é apenas o texto. Porém, farei isso com mais frequência, a fim de evitar transtornos.
Grato,
o autor.

Fernando de Freitas Leitão Torres disse...

Muito obrigado. Nós acreditamos que a citação de crédito é publicidade. Por isso sempre pedimos. Abraços