sexta-feira, 24 de abril de 2009

O espetáculo da busca

No dia 30 de março de 2009 tive o prazer de ver concluída mais uma etapa em minha vida acadêmica: defendi minha dissertação de mestrado em história social na UEL. Fui tanto elogiado nas virtudes, como criticado nas fissuras que apareceram no texto, como não haveria de ser diferente. Mas desde o princípio do trabalho, fiz questão de deixar clara minha inexorável dependência do tempo e lugar a partir dos quais produzi meu discurso, e de que me rendia, assim, como sempre o fiz em minha caminhada, ao "espetáculo da busca", parafraseando Marc Bloch. Assim, asseverei, esperava que esse texto fosse também um pouco de confissões acerca das trilhas percorridas e da construção de meu fazer historiográfico.

De modo análogo, encerrei afirmando que "para o historiador, e não diferente para o historiador das religiões e religiosidades, a história é, como diria Marc Bloch (2001, p. 128), “uma vasta experiência de variedades humanas, um longo encontro com os homens”. Uma das aventuras da narrativa histórica é, a meu ver, aprender e continuar aperfeiçoando a arte de transformar esses encontros em enredos fascinantes para o leitor".

A palavra final de minha orientadora foi: "Em seu trabalho encontro um enredo fascinante". Foi uma prazer ouvir isso de gente tão gabaritada, para dizer tanto algo desse tipo como avaliar de modo totalmente contrário. É boa a sensação do dever cumprido, e de agora poder olhar pra trás e ver que valeu a pena, todo o esforço, as horas de sono perdidas, o processo custoso e prazeroso de pesquisa e todos os momentos em que, muitas vezes depois de uma frustração por não conseguir sair do primeiro parágrafo, fui surpreendido pela luz da divina inspiração de um insight que de repente te arrebata e te faz dizer "eureka!".

Bem, falei tudo isso, mas ainda não disse nada sobre o trabalho. Meu objeto de estudo foram as metamorfoses do sagrado no protestantismo, a partir de um estudo de caso na Igreja Presbiteriana Independente Filadélfia em Londrina. Abaixo, segue o resumo da dissertação, uma espécie de síntese do que nela desenvolvo.

MENEZES, Jonathan M. As Metamorfoses do Sagrado no Protestantismo Brasileiro: o caso da Igreja Presbiteriana Independente Filadélfia. Londrina (1972-2008). Londrina: UEL, 2009. 183p. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em História Social) – Centro de Ciências e Letras Humanas da Universidade Estadual de Londrina. Departamento de História.

O estudo do protestantismo é algo que tem fascinado a muitos pesquisadores nos últimos anos. A multiplicidade que o constitui, as combinações que ele engloba e as metamorfoses pelas quais tem passado são o cerne temático dessa dissertação. Com a finalidade de contribuir com as pesquisas vigentes no campo da história das religiões e religiosidades, esse trabalho visa estudar as metamorfoses do sagrado no protestantismo brasileiro, a partir do caso da Igreja Presbiteriana Independente Filadélfia, em Londrina. Para tanto, articulado teórica e metodologicamente com o pensamento de Michel de Certeau, e com as noções de prática e experiência, empreendeu-se uma investigação que combinou diferentes fontes: orais – entrevistas com líderes e membros da IPI Filadélfia e outras pessoas direta ou indiretamente envolvidas nos processos analisados – e escritas, quais sejam, documentos próprios da igreja e outros produzidos por líderes e teólogos da Igreja Presbiteriana Independente do Brasil, seja em âmbito institucional ou de caráter mais acadêmico. Constata-se, a partir desse caso, que o tema do “avivamento”, que gerou crises e divisões na IPI na década de 1970, é um assunto recorrente na história da IPI Filadélfia, e que reapareceu de modos diferentes em diferentes períodos, mudando perspectivas, gerando metamorfoses. Postulou-se que o sagrado que se manifesta nesse âmbito não é fruto de mera repetição de modelos, mas de recriações, reinvenções da tradição, a partir da experiência singular de fé das pessoas em seus contextos particulares de vida. Em virtude disso, tanto nos discursos como nas práticas religiosas ocorreram rupturas, que ora penderam para uma flexibilização, ora para um reforço de trincheiras religiosas. Metamorfoses do sagrado se constitui, portanto, em um emblema de posturas e práticas que ora combinam, ora repelem elementos díspares e que revela as fissuras e inversões do pensável contidas no hiato engendrado numa comunidade de praticantes entre a fé representada e a fé experimentada.

Palavras-chave: Igreja Presbiteriana Independente Filadélfia; avivamento; protestantismo; metamorfoses do sagrado; práticas; experiência; tradição.

Jonathan

2 comentários:

Daniel Leite Guanaes disse...

John,
parabéns pela defesa! Só quem já passou pela experiência de dar à luz uma tese ou dissertação sabe a alegria que é ver o "filho" nascer e o reconhecimento das demais pessoas! Deus abençoe na caminhada.
Aproveito pra dizer que indiquei seu blog como um dos 7 melhores, em minha opinião. É um lance que um blog chamado amenidades da cristandade criou. Sem as rasgações de seda, acho isso interessante porque ajuda na divulgação dos blogs que, aquele que escrevem no contexto cristão, julgam mais interessantes. Depois vc vê o post lá!
Abração
Daniel

Robinson J. De Souza (Roberas) disse...

'ohhh Jonaaas'...

continue nessa 'pegada'...vc é uma inspiração pra nós.

Deus te abençoe em sua caminhada acadêmica.

att

Roberas&Sici